<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, novembro 29, 2004

Funcionários da Câmara Enforcaram Cão em Almodôvar 

Funcionários da Câmara Enforcaram Cão em Almodôvar
Por CARLOS DIAS
Domingo, 28 de Novembro de 2004
Uma equipa de trabalhadores da câmara de Almodôvar enforcou um cão, na presença de dezenas de jovens estudantes, quando, no passado dia 11, foi chamada para recolher o animal doente, abandonado e em grande sofrimento. Os funcionários, que tinham ordem para capturar o animal, optaram por abatê-lo no local onde foi encontrado, nas traseiras da escola secundária.
Os jovens que presenciavam a cena reagiram aos gritos quando viram o cão pendurado pelo pescoço numa corda. Indiferentes aos protestos, os captores apressaram a morte do animal à paulada.
Jorge Alves vice-presidente do conselho executivo da escola secundária de Almodôvar, confirmou que no dia 11 de Novembro, o abate do animal ocorreu nas traseiras do recinto escolar e teve os alunos como testemunhas oculares. Apesar de já terem passado alguns dias os jovens - "extremamente alterados" - foram entretanto ouvidos pela GNR local, na sequência de uma denúncia que receberam da Liga de Protecção dos Direitos dos Animais (LPDA).
Arlindo Ramos, dirigente desta organização disse ao PÚBLICO que o abate do cão nestas condições lhe merece "a mais profunda discordância" . E adiantou que está a tentar averiguar junto da câmara quais os motivos que levaram os funcionários "a proceder da forma como procederam", embora reconheça que se trata de uma prática "muito corrente" no concelho, sobretudo entre as pessoas mais velhas, que "têm o hábito de matar os animais enforcando-os ou abatendo-os a tiro".
Arlindo Ramos diz que observa com frequência formas "desumanas" de tratar os animais. Recentemente foi confrontado com matilhas de cães que são utilizados nas batidas aos javalis e que se encontravam presos dentro de cercas "comendo-se uns aos outros com fome". Dezenas de animais estavam de tal forma de debilitados "que já não se conseguiam levantar" e " nem uma pinga de água tinham parta beber, em pleno Verão, só porque os donos não querem saber deles".
O dirigente da LPDA diz que, no Alentejo, a situação assume uma dimensão preocupante sobretudo nas épocas de caça, quando os cães são abandonados e às vezes amarrados às árvores por os donos os considerarem maus para a caça. Muitos dos animais acabam mortos sob os rodado das viaturas ou juntam-se em matilhas que atacam os rebanhos, causando prejuízos enormes aos pastores que não descansam enquanto não os matam.
O PÚBLICO questionou António Sebastião, presidente da câmara de Almodôvar sobre este caso, mas o autarca apenas disse que "é uma situação que está a ser tratada" e que não tem mais declarações a fazer. A GNR de Almodôvar não forneceu qualquer esclarecimento porque o comandante se encontrava ausente.
Público


sábado, novembro 22, 2003

Pouca escrita 

Devido a alguns problemas pessoais que atravesso de momento, não tenho andado com muita vontade de escrever.

Vou apagar o endereço de mail, pois infelizmente estou a ser inundado diariamente com "junk mail".

Voltarei sempre que tiver vontade de escrever ou comentar algo.

terça-feira, novembro 11, 2003

Recebida por email 

Prostituição cultural

Barbara Guimarães recebeu até Outubro de 2001, durante todos os meses, 5.000 euros (1000 contos) do Ministério da Cultura para realizar um curto programa diário para a RDP – Antena1. Ao todo foram 60.000 euros (12 mil contos) recebidos em 2000 e cerca de 4500 a 5000 euros por mês em 2001.

Ou seja, o Estado Português gastou com Barbara Guimarães um total de 110.000 euros. Tudo graças à amizade então existente entre o Ministro da Cultura e a conhecida estrela de televisão. Manuel Maria Carrilho subsidiou o programa, um pequeno magazine cultural de cinco minutos transmitido de segunda a sexta-feira na RDP - Antena 1. Os 5.000 euros mensais atribuídos por Manuel Maria Carrilho a Barbara Guimarães foram pagos através do Fundo de Fomento Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura e presidida pela actual secretaria-geral do ministério, Helena Pinheiro Azevedo.

Este deve ser o dinheiro que um contribuinte médio faz de descontos UMA VIDA INTEIRA, sem poder fugir !!! Propomos que todos os que recebam este mail façam forward, em forma de protesto.


Como diria o ilustre Manuel Maria Carrilho no telejornal?

1. Chocado !
2. Surpreendido !
3. Envergonhado !
4. Apanhado !
5. Escondido com rabo de fora !


Quem sabe alguém ganhe vergonha na cara.

terça-feira, novembro 04, 2003

AJUDA - Canil Municipal de Torres Vedras 

Recebi os dois seguintes emails sobra uma situação que é importante divulgar e condenar:

1º EMAIL:

Caros amigos
A Câmara municipal de Torres Vedras emitiu uma ordem de serviço para o veterinário municipal, através do presidente Jacinto Leandro, para mandar abater 200 cães do canil municipal. A razão invocada é a sobrelotação do canil gerido pela própria câmara, mas o tratamento dos animais está a cargo da Associação de Protecção de Animais de Torres Vedras - APA - apa.tv@iol.pt. Até Março deste ano a associação suportava todos os custos do canil sem que a câmara se preocupasse em saber se havia comida, quantos cães havia, se era preciso alguma coisa , depois de assinado um protocolo com a câmara esta passou a pagar a ração dos animais e agora como não têm dinheiro para mais, mandam-nos matar. A chacina começa amanhã de manhã, deixo-vos a informação disponibilizada por um dos elementos desta associação. Façam por favor o que estiver ao vosso alcance para ajudar os animais da APA como se tratasse dos animais da JAVA, eu hoje falei com a Olinda presidente da associação que está desesperada sem saber o que fazer pois os cães são todos saudáveis e novos, os mais velhos que têm contam 5 anos. Obrigado a todos
bem hajam
Carla Alegre

> A/c Carla Alegre
>
> Junto envio documento que peço divulgue.
> Os nossos cães condenados agradecem.
> Obrigado.
>
> Armando Paixão
>
> APA-Associação de Protecção aos Animais
> de Torres Vedras
>
> Serve o presente para divulgar uma ordem de Serviço do dia 29 de
> Outubro
de
> 2003, assinada pelo Presidente da CMTV.
>
> Quem sentir que de alguma forma esta decisão afecta os pobres animais
> que

> habitam no Canil Municipal, pode e deve utilizar os emails camarários
> (abaixo mencionados) para fazer chegar este protesto, evitando assim a
morte
> destes animais inocentes...
>
> Anexo, a ordem se serviço enviada para o Veterinário Municipal e para
> a Associação para Protecção aos Animais de Torres Vedras.
>
>
> Divulgue este email, de forma a ser possível evitar o abate destes
> cães,
e
> faça o seu protesto para os emails camarários.
>
>
> cmtv@cm-tvedras.pt
>
> comunicar@cm-tvedras.pt
>
>
>
>
>
>
--
Associação Projecto Java
Associação Sem Fins Lucrativos
Lourinhã
projectojava@mail.pt


2º EMAIL:



Em relação à situação dos animais que irão ser abatidos a partir de amanhã (04 Novembro 2003) no Canil Municipal de Torres Vedras (relembro que serão abatidos cerca de 200 cães de forma faseada, ao longo de 5 semanas), esta mantém-se, pois já falei com a Presidente da Associação de Protecção dos Animais de Torres Vedras, e os esforços que foram feitos junto do executivo municipal ainda não surtiram efeito.

Assim, apesar de ser tão em cima da hora, a única medida que existe, de acordo com a APA, é estar o maior número possível de pessoas amanhã no canil, a partir das 10H00 (hora a que chega o veterinário municipal que se encarregará do abate). Presente irá estar a comunicação social regional, bem como alguns colaboradores e sócios da APA.

Não se pretende que exista uma manifestação violenta, mas sim que esta seja uma forma de se demonstrar solidariedade e também que faça com que os responsáveis camarários reflictam sobre a atitude que se prestam a tomar. Soluções a curto prazo para resolver esta problemática é certo que não existem, no entanto é tempo de alertar as autoridades competentes (como o são as autarquias), para a urgentíssima necessidade de promover uma campanha nacional de esterilização dos animais, para que a sobrelotação não seja um problema que se verifica como acontece nos dias de hoje.

Apareçam amanhã!

Aqui ficam as indicações!

Vindo de Lisboa
Apanhar a A8, sair em Torres Vedras Centro (2ª saída) da AE, fazer a rotunda em direcção a Torres e seguir as indicações para Santa Cruz/Ericeira. Seguir sempre em frente e depois ir na direcção da Fonte Grada/Palhagueira (um cruzamento à direita), cerca de 3 km depois de Torres Vedras. A partir daí seguir sempre as instruções que levam ao Canil Municipal/Veterinário Municipal.


Se existirem dúvidas liguem para mim: 966174707



quinta-feira, outubro 30, 2003

A Telepizza e as questão das facturas 

Mandei vir uma pizza da telepizza. A mesma chegou, pedi a factura e o rapaz simplesmente respondeu que não a trazia pois eu não tinha pedido pelo telefone, quando pedi a pizza!
Mas desde quando é que temos que pedir uma factura ANTES da entrega do material??
Obviamente mandei o rapazinho e a respectiva pizza de volta.
Sem factura, não há pagamento. É simples.
Dra. Manuela Feirreira Leite, por favor esteja atenta a estas situações. A Pizza Hut faz exactamente o mesmo, o que é inadmissível.

Já aqui disse várias vezes que devido ao escândalo que é o desperdicio de dinheiros públicos por parte dos politicos, se eu pudesse, não pagava impostos.
Mas uma vez que tenho que os pagar, então estou plenamente de acordo em que temos todos de colaborar contra a fuga aos impostos e pedir SEMPRE facturas de tudo e mais alguma coisa que compramos.

E estas empresas de entregas ao domicilio deveriam ser constantemente vigiadas pelo Ministério das Finanças. Não há desculpa possível para os rapazinhos dizerem que não trazem a factura, pois não a pedimos juntamente com a encomenda da Pizza.
Deveria ser obrigatório entregarem sempre a factura ao cliente. Se o cliente não precisar dela, que a jogue no lixo, mas deveria ser obrigatório a entrega da factura, mesmo que não solicitada.

Um blog espectacular 

Navegando pelo blog da gotinha, descobri este fantástico blog.
Vão ver!
Parabéns à Inês de 11 anos!

quarta-feira, outubro 29, 2003

As declarações da Provedora da Casa Pia 

Catalina Pestana fez ontem algumas declarações muito polémicas.
Apesar de por principio não estar de acordo com o show-off televisivo deste caso, sou obrigado a dar toda a razão à provedora, face aos últimos factos, nomeadamente os sucessivos adiamentos do julgamento de Bibi.
Compreendo perfeitamente que o bem estar das crianças deva estar em primeiro lugar. Já sofreram que chegue. Que se lixem as chamadas garantias individuais dos cidadãos suspeitos de crimes, à conta das quais, se cometem atrocidades bem maiores.
O mais importante é o bem estar das crianças que não fomos capazes de defender durante anos. Agora temos todos que assumir as responsabilidades, doa a quem doer.
A lei não pode permitir este tipo de situações: sucessivos adiamentos de um julgamento, até à eventual prescrição do caso!
Mas que Estado de Direito é este?
Então e as liberdades, direitos e garantias das vitimas? Ninguém as defende?

Compreendo o desabafo da provedora e percebe-se o desespero com que Catalina Pestana apela a quem de direito, para que não se esqueçam das crianças.
Acho agora que o Ministro Bagão Felix deveria vir publicamente dar todo o seu apoio à provedora. As declarações dela não foram politicamente correctas, mas ela não é paga para ser politica. É paga sim para garantir os direitos, o bem estar e a educação das crianças da Casa Pia. Tudo coisas simples, mas negadas durante anos e anos.

A provedora às vezes fala demais, mas desta vez mostrou uma coragem de louvar.

O caso do ICN parte II 

Afinal era apenas um boato.
Engraçado... os boatos estão na moda hoje em dia...
Ou é o governo que tenta deitar barro à parede a ver se pega, ou é a comunicação social que quer fazer espectáculo gratuito...
Enfim, do mal o menos. As àreas protegidas continuam sob a tutela do ICN e do Ministério do Ambiente.

terça-feira, outubro 28, 2003

O caso do ICN 

Ainda não percebi se foi apenas um boato ou se houve alguma intenção de realmente retirar o ICN da alçada do Ministério do Ambiente e passá-lo para o Ministério da Agricultura.

A ser veridica esta noticia, parece-me que estamos perante o maior atentato à defesa do Ambiente em Portugal, a que se assiste nos últimos 100 anos. Não podemos entregar o património natural e ambiental a um conjunto de lobies e interesses económicos, na sua maioria muito pouco claros. Temos que preservar o património para nosso próprio bem e para que os nossos filhos o possam admirar.

A ser veridica esta noticia, desilude-me muito este governo.

Mas quero acreditar que se trata apenas de um boato, ou de uma piada de mau gosto.

Gostei das declarações do Ministro do Ambiente e espero sinceramente que consiga pôr o seu colega da Agricultura, no devido lugar. Quanto ao Durão Barroso, espero que tenha consciência e inteligência suficiente para perceber o que está aqui verdadeiramente em causa e não ceda a pressões de alienação de um dos mais importantes patrimónios que ainda temos: o Ambiente.

Mais Casa Pia 

Uma vergonha para a Justiça Portuguesa, o que se passou hoje com o processo Casa Pia. Quando digo que é uma vergonha para a Justiça, não quero entrar no populismo barato. Continuo a acreditar na Justiça.
Mas custa-me que se utilizem mecanismos legais que têm a finalidade de garantir a defesa dos cidadãos, para atingir objectivos de simples obstrução à Justiça e adiamento de um Julgamento.
É mau para o Advogado do Bibi, que utiliza meios muito pouco éticos para defender o seu cliente.
É mau para a Odem dos Advogados que não se manifesta criticando a utilização deste tipo de meios.
É mau para o legislador, que permite que a lei seja utilizada de forma pouco clara e pouco digna.
É mau para as crianças da casa Pia, que vêm mais uma vez o julgamento de Bibo adiado.
É mau para todos nós Portuguêses, que temos que assistir impávidos a estas manobras, aceitando que se trata apenas do normal funcionamento da Justiça.
Pois se se trata do normal funcionamento da Justiça, então a Justiça está mesmo a funcionar mal!

segunda-feira, outubro 27, 2003

Mais Bragança 

Dois dos maiores bares de Alterne de Bragança resolveram processar a revista Time, pelo artigo que publicou sobre a prostituição naquela cidade.
Só encontro uma palavra: RIDICULO!
Os advogados da Time não conseguem parar de rir...

Judice, Judice... 

Já quase todos se calaram, menos o Júdice, que continua a falar demais.

sexta-feira, outubro 24, 2003

A inauguração do novo Estádio do Benfica 

É mais uma prova de como às vezes parece vivermos na República das Bananas. Um Estado sem Lei nem ordem.
O Estádio vai ser inaugurado amanhã: Os bombeiros desconhecem um eventual plano de emergência, os acessos não estão acabados, não existe ainda estacionamento, etc, etc.
Mais um péssimo exemplo da gestão politica, desta vez na cidade de Lisboa.
Os politicos (Camara Municipal de Lisboa e Governo) estão-se nas tintas para a qualidade de vida dos cidadãos, nomeadamente, dos utilizadores do Estadio e dos Habitantes das zonas envolventes.
O importante é inaugurar o Estádio e fazer todo o show-off associado à inauguração.

Este não é decididamente o melhor caminho para o país de futuro que gostaríamos de ter.

quinta-feira, outubro 23, 2003

Recebida por email 

No meio do trânsito de Lisboa, estão lado a lado um Mercedes em que
segue uma madame finíssima e o respectivo motorista e um Fiat Uno bem
velhinho. O tipo do Uno, grita, buzina, faz um escarcéu por causa do
trânsito até que a fina madame baixa o vidro do Mercedes e diz-lhe:
- A paciência é a mais nobre e gentil das virtudes!, Shakespeare, em
"Macbeth".
O tipo do Uno não se intimida e revida:
- Tou-me a cagar pra isso!, Ferro Rodrigues, em "Processo da Casa Pia".

quarta-feira, outubro 22, 2003

As palavras do Bastonário 

José Miguel Judice, Bastonário da Ordem dos Advogados, achou-se ontem no direito de ameaçar o Procurador Geral da República, dizendo que, ou põe cobro à divulgação das escutas, ou alguém terá de pôr cobro ao PGR.

Júdice acha inqualificável e inadmissível a divulgação de informações protegidas pelo segredo de justiça.

Até aqui estou plenamente de acordo. Também considero inadmissível a divulgação das escutas telefónicas. Mas eu sou um cidadão Português completamente insuspeito. Nem sequer gosto do Ferro Rodrigues, pelo que estou completamente à vontade para comentar a divulgação das escutas.

Agora o senhor Júdice tem-se vindo a portar muito mal durante todo este processo. Fala quando deve estar calado. Manda os outros calar-se quando estão a dizer coisas que não lhe convêm. Está provado que esteve envolvido na tentativa que alguns lideres do PS fizeram para influenciar a Justiça, e agora até se dá ao luxo de ameaçar o Procurador Geral da República, de despedimento!!!

Mas quem é que este senhor julga que é?? Por acaso pensa que o PGR está dependente da Ordem dos Advogados, ou de alguma das "secret societies" às quais o senhor Bastonário aparenta prestar vassalagem??

Este senhor é um cidadão normal como os restantes 10 milhões de Portuguêses. Ponha-se no seu lugar e cumpra a sua função na Ordem. Abstenha-se de falar mais sobre este caso e principalmente de intervir.

É pena que estes senhores, só se preocupem com a defesa dos direitos dos arguídos, que aliás eu acho que deve obviamente ser defendida. Mas e quem se preocupa com as crianças que foram violadas? Porque é que ninguém fala delas? Porque é que ninguém fala da vergonha que é para o Estado de Direito que tanto dizem defender, o facto destas crianças terem sido sistematicamente violadas durante mais de 20 anos, sem que o Estado de Direito as tenha defendido?

E agora preocupam-se mais com os direitos dos arguídos, de pessoas que têm fortes indicios de terem cometido este horrendo crime (estou a falar da pedófilia e não da divulgação do segredo de Justiça!), do que com os direitos que estas crianças perderam, por causa do Estado de Direito, durante mais de 20 anos?

Que raio de moral é esta? É obvio que a divulgação do segredo de Justiça é um crime condenável, mas estes senhores dão-se ao direito e desplante de afirmar que é o mais horrendo dos crimes?? Então e a pedófilia é o quê?
Com a divulgação das minhas conversas telefónicas posso eu bem. Se não as quero ver divulgadas, tenho bom remédio: conter as asneiras que digo ao telefone. Agora com a pedófilia, as crianças não tiveram qualquer defesa. Viram os seus direitos de cidadãos livres, completamente pisados durante anos e anos. Onde estava o senhor Bastonário nessa altura? Onde estavam dos diversos Ministros e Presidentes da República nessa altura?

Onde esteve afinal o Estado de Direito durante esses mais de 20 anos?

Tenham mas é todos vergonha na cara e estejam vocês calados. Não venham mais à televisão mandar calar o povo, nem dizer quais são as prioridades para o povo. O povo sabe muito bem pensar sozinho e sabe muito bem quais são as suas prioridades. Não precisamos que os politicos e outros grupos de influência, nos venham dizer quais as nossas prioridades.

domingo, outubro 19, 2003

Os anúncios dos Operadores Móveis 

Já repararam que os anúncios dos 3 operadores de telemóveis são todos uma parvoice pegada?
A mensagem que tentam passar, terá provavelmente a ver com juventude, irreverência, etc. Mas será que pensam que os jovens são um bando de anormais?
Os anúncios não têm ponta por onde se pegue. É uma idiotice e parvoice pegada. Tentam passar uma imagem jovem e dinâmica, mas passam uma mensagem idiota e fútil. A nossa juventude não é assim!
Alguém ligado ao Marketing de um dos Operadores me sabe explicar qual a ideia?

sábado, outubro 18, 2003

Os Carros e as Escolas 

Hoje passei ao pé da minha antiga Escola Secundária. Tal como a maioria das Escolas em Portugal, o Edificio encontra-se cada vez mais degradado.
Não há dinheiro para dar alguma dignidade às Escolas.

Não deixa de ser engraçado, pois a primeira coisa que os nossos politicos, desde os Ministros a Presidentes de Camara, fazem quando iniciam os seus mandatos, é adquirir um carro novo. O carro do seu antecessor, nunca serve.
Duplamente engraçado, pois tratam-se sempre de carros topos-de-gama, com um tempo útil de vida que pode ultrapassar os 10 anos.
Mas para os Srs. Politicos não servem. Carro novo é logo a primeira ordem em cada novo mandato.

Mas as escolas podem continuar velhas. De ano para ano, a degradação aumenta.

Não é pelo preço dos carros, que obviamente é muito inferior ao preço de manutenção de uma Escola. Mas sinceramente acho vergonhoso, pois os politicos deveriam ser os primeiros a dar o exemplo. Porque carga de água têm de trocar de carro em cada mandato?

E por falar em carros, não posso deixar de mencionar mais um escandalo: O carrinho do Sr. Presidente de Camara de Odemira. Pois é, o Volvo S80, topo-de-gama (claro!!) da Volvo que "pertencia" ao Sr. Presidente da Camara de Odemira, foi vendido em asta pública a mando de um tribunal, para pagar parte das dividas da Camara de Odemira aos fornecedores. Mas o Sr. Presidente da Camara não ia ficar sem carrinho. Então vai logo alugar um carro identico pela módica quantia de 250 Euros/dia!! (sim, 250 Euros por dia!!!).
Ainda pergunto mais: porque raio tem o Presidente da Camara de Odemira de andar num topo de gama? Porque não se contenta com um média gama, tipo um Renault Laguna ou semelhante?? Deveria haver plafonds máximos para os carros dos politicos, consoante a função! OS presidentes de Camara são donos e senhores, compram o que lhes apetece com o dinheiro do Municipio! Por isso sou completamente contra a autonomia do poder local. Autonomia o tanas!!

E nós a pagar!! E a Associação de Municipios ainda tem a lata de exigir mais dinheiro do Orçamento de Estado??
Porque não pensam eles em dignificar as Instituições e ganhar o respeito dos cidadãos, antes de exigir mais mordomias?

Garanto que se pudesse, não pagaria nem mais um tostão de impostos! Isto é revoltante!

Está explicado, o mocinho é da JCP... 

Em relação ao meu post anterior, já fui visitar o site do mocinho que questão. É membro da JCP (Juventude Comunista Portuguêsa, para quem não saiba), aquela famosa instituição Portuguêsa que acha que a Coreia do Norte é uma democracia!
Acho que não vale a pena dizer mais nada. Fui eu acusar a China de não ser um país democrata!
É o ideal do comunismo: todos pobres a morrer à fome, mas todos iguais.
E viva a JCP, a instituição mais democrata de Portugal!

Há com cada energúmeno! 

Tenho andado com alguma falta de tempo para actualizar o blog. Mas hoje estava a lê-lo um pouco À pressa e não pude deixar de escrever aqui uma nota sobre o que vi.
Recebi uma visita ilustre, que ainda por cima teve a amabilidade de deixar um comentário a um dos meus posts.
Passo a citar:

A mim assusta-me o facto de V. Exca não ser o único ser acefalo neste país à beira mar plantado. O único castigo que me parece apropriado é condená-lo a viver 24h non-stop com a Manuela Ferreira Leite. Pior que isso, não concebo. Bem, talvez ser enrabado pelo Cardeal Cerejeira. Assim mesmo, depois de morto (o cardeal). Os meus lamentos. Se encontrar o seu cérbero numa sarjeta não hesite apanhá-lo. Podia ser comido acidentalmente por uma ratazana que morreria intoxicada. Seria uma pena vir tão grane mal ao mundo.

Mavatar


Este tipo de pessoas se andasse armado (o que não me admira que aconteça) e se me apanhasse na rua à sua frente, certamente me dava um tiro na cabeça sem sequer me explicar porquê.
Bem, como sou uma pessoa bem disposta até achei piada e resolvi divulgar. Estas pessoas são os verdadeiros palhaços que nos dão vontade de rir, tamanha é a sua imbecilidade.
Obrigado, já ganhei o dia!

Já agora, o mocinho deixa o seu blog no comentário. Ainda não tive tempo de ir ver, mas deve ser lindo...

quarta-feira, outubro 15, 2003

Orçamento de Estado para 2004 

Foi hoje entregue pelo governo, na assembleia da República, o Orçamento de Estado para 2004. Más noticias... vai ser mais um ano de grande aperto de cinto.
Os funcinários públicos queixam-se que não vão ter aumentos. Acho muito bem. Eu não tenho aumento há dois anos consecutivos. Os funcionários públicos (todos, inclusivé os politicos) têm obrigatóriamente de ser os primeiros a dar o exemplo. Em tempo de crise é mesmo assim.

Surpreendeu-me no entanto, saber que o Ministério da Cultura vê a sua verba aumentada, enquanto a Saúde, Segurança Social, Ciência e Ensino Superior, Educação vêm a sua verba diminuir.

A Manuel Ferreira Leite pode ser muito boa economista (não discuto, pois não é a minha área e admito que ela saiba mais do que eu sobre o assunto), mas parece-me ter muito pouca sensibilidade para saber onde deve apostar para o bem do futuro de Portugal.

Mais dinheiro para a Cultura? Porquê? Na minha opinião nem deveria haver Ministério da Cultura. Não me interpretem mal. Acho a cultura importante, mas detesto a pseudo-cultura aspiradora da maioria das verbas do Ministério da Cultura. Passo a explicar:
Parte da cultura deve ser ensinada nas escolas e esta pode perfeitamente ficar a cargo do Ministério da Educação. Outra parte da cultura tem a ver com a preservação do Património e esta pode ir para o Ministério das Cidades. Por fim aparece a pseudo-cultura, que não passam de negócios privados financiados pelo Estado. Refiro-me a todo o tipo de subsidiação de Espectáculos, como filmes (lembram-se daquele famoso filme que custou 100 mil contos e resumia-se ao ecran negro durante todo o filme?), teatro, festarolas locais, etc, etc. Na minha opinião este tipo de "cultura" não deve ser financiada pelo Orçamento de Estado. Quem a apreciar e quiser ver, paga pelo espectáculo. Se o espectáculo não der lucro, é porque não existe um número suficiente de pessoas que apreciem esse tipo de Cultura e nesse caso porque é que temos que ser nós todos a pagá-lo para apenas uma minoria a apreciar?

E claro, no fim não sobra dinheiro para as Universidades, para a Saúde, para as Escolas, para a Investigação Ciêntifica (que é importantissimo para o futuro de qualquer país e neste simplesmente não existe!!!!), para a Segurança Social (os velhotes morrem à fome e sem as minimas condições de vida, mas para a pseudo-cultura há sempre dinhero??), etc, etc.

Drª Ferreira Leite, por favor reavalie as prioridades deste país, sobre pena de continuarmos a ficar para trás em relação à Europa.

Primeiro voo tripulado Chinês 

A China efectuou o primeiro voo tripulado Chinês em orbita da Terra. Os meus parabéns à China pelo feito. Torna-se assim na 3ª potência mundial a fazê-lo, depois da antiga URSS e Estados Unidos (por esta ordem).

Para ser sincero, esta é no entanto uma noticia que me assusta. A China continua a ser um país não democrático, com graves problemas em termos de direitos humanos. Acho importante o mundo ocidental acompanhar de perto estes feitos da engenharia e ciência chinesas...

O governo vai repor a publicidade na Time 

Acaba de ser anúnciado que o governo voltou atrás na questão da suspensão da publicidade na revista Time.
Não vou dar os parabéns pela decisão, pois penso tratar-se apenas da correcção de uma decisão errada tomada anteriormente.
Ficaria muito desiludido se este caso tivesse outro desfecho.

Inaceitável num Estado Democrático 

Acabo de ouvir a noticia de que o governo Português mandou suspender toda a publicidade ao Euro 2004, na revista Time, em consequência da reportagem que saiu ontem sobre a prostituição em Bragança.
Isto é simplesmente inaceitável para um governo que se diz democrata. O que o Estado Português está a dizer à Time e à restante comunicação social mundial é que não podem falar mal de Portugal, caso contrário terão represálias.
Se isto não é censura, então o que é?
Estamos a dizer à comunicação social que não admitimos que denunciem situações menos boas em Portugal?
Eu como Português, não só agradeço à comunicação social que o faz, como exigo que o possa continuar a fazer livremente. Cada qual é livre de dar a sua opinião. Se o Estado Português não está de acordo, tem todo o direito de enviar uma comunicação à revista Time a dar a sua opinião sobre o assunto. Não pode é responder com represálias reles e muito pouco éticas.
Por muito que tentemos disfarçar, é com estas pequenas coisas que mostramos não estar muito longe de regimes como o de Fidel Castro ou o de Saddam Hussein.

terça-feira, outubro 14, 2003

As Mães de Bragança 

A noticia do dia foi a reportagem de capa da revista Time Europeia, sobre as mães de Bragança.
Muitas pessoas se perguntaram porque é que esta situação dava direito à primeira página de uma revista tão conceituada como a Time. Uma coisa vos garanto: não é certamente por causa de Bragança, nem do manifesto das mães de Bragança. O problema é a imigração ilegal na Europa, e todo o negócio que está por trás.

Não há dúvida que a imigração começa a ser um problema sério para a Europa, nesta altura de crise. A reportagem em questão, tem apenas o objectivo de pegar em algo que é mal visto pela sociedade em geral, para atacar a imigração. Não sejamos ingénuos.

No entanto, para nós Portuguêses, que nos preocupamos com os assuntos do país (ao contrário da Revista Time e de quem "pagou" por esta reportagem), este é realmente um assunto muito sério (o caso de Bragança).
Uma terra pacata e tradicional, longe q.b. dos centros de decisão nacionais, vê-se de repente envolvida numa sitação para a qual a comunidade não estava preparada. E quando falo em comunidade, falo tanto nos homens como nas mulheres.

Diz-se que os homens procuram as prostitutas Brasileiras para obter aquilo que não têm em casa. É normal. Trata-se da curiosidade natural por algo novo. É obvio que as Brasileiras estão dispostas a fazer coisas que as mulheres de Bragança nem imaginam ser possível. Mas também é obvio que o objectivo das Brasileiras é única e exclusivamente o dinheiro. Os homens são portanto utilizados e as mulheres não sabem como combater esta novidade.

Nós cidadãos não podemos simplesmente fechar os olhos ao sofrimento destas mulheres de Bragança. Imaginem-se na sua situação. O que fariam? Algo completamente novo entra nas vossas vidas e muda-as radicalmente. Independentemente destas mulheres terem ou não razão, a forma de reagir delas tem a ver com a cultura com que foram educadas anos a fio. Elas não têm culpa. Simplesmente não estavam preparadas.

É portanto um problema cuja culpa é exclusiva das nossas autoridades, que não souberam prever o fenómeno e combatê-lo logo de inicio. É das autoridades e é dos politicos que hoje, mais uma vez vergonhosamente, vieram à Televisão sacudir a àgua do pacote, como se não fosse nada com eles.
São eles que estão à frento do país, e das Camaras, mas os problemas nunca são da sua responsabilidade. São sempre culpa de outros.
Foi lamentável ouvir as declarações de Jorge Nunes, Presidente da Camara Municipal de Bragança. Disse o homem que o problema era irrelevante.
Irrelevante para quem? Para ele, certamente. Mas para as mulheres de Bragança não é concerteza irrelevante. E foi certamente por acharem o problema irrelevante, que nada fizeram para o prevenir. Quem deu as licenças para essas casas funcionarem? Quem não impediu a entrada das imigrantes ilegais? Quem não fiscalizou o que se passava dentro dessas casas? Quem continua a fechar os olhos e a dizer que a situação é irrelevante?

São essas as pessoas que permitiram que Portugal e Bragança, vergonhosamente, aparecessem hoje na capa da Time, pelas piores razões.


segunda-feira, outubro 13, 2003

Esta senhora enlouqueceu 

A Drª Ana Gomes enlouqueceu. É um excelente exemplo do velho ditado "de cavalo para burro". Dos tempos aureos em defesa de Timor-Leste, passou agora para a defesa dos que querem baralhar e confundir o caso Casa-Pia.
Esta senhor mete-se em tudo, ultimamente. Não sei se anseia por uma subida fulminante no seio do PS, mas parece ir no bom caminho. Ultimamente o PS promove os menos capazes, veja-se o caso do Ferro Rodrigues, que ainda não acertou uma.
Mas a verdade é que esta senhora enlouqueceu. Agora quer que o governo comente a noticia do Le Point sobre os dois ministros alegadamente pedófilos. É obvio que se trata de pura demagogia e vontade de distraír a opinião pública que não gostou nada do triunfalismo com que o PS recebeu o Paulo Pedroso. Foi um erro crasso e agora esta senhora vem tentar remediá-lo, desviando as atenções ao fazer de papel de boba da corte, pedindo o impensável.
É obvio que o governo nunca irá comentar a noticia do Le Point, nem deve fazê-lo. A haver alguma verdade na mesma, cabe Às instâncias próprias efectuarem a respectiva investigação. Não cabe nem ao governo nem à Drª Ana Gomes fazerem qualquer comentário sobre a questão.
Aliás neste caso, o governo tem-se portado de forma exemplar. Eu diria mesmo que é a única entidade que ainda não comentou nada sobre o caso, ao contrário de muito boa gente que não sabe estar calado (ou calada!).
A Drª Ana Gomes está portanto a sacrificar-se pelo PS. Sim, porque com estas atitudes, ficará para sempre marcada com o autocolante de cromo na testa. Apenas mais um entre os politicos. Já ninguém estranha.


domingo, outubro 12, 2003

Ainda sobre o post anterior 

Queria dar apenas mais um exemplo. Suponha o leitor que se encontra em frente a um automóvel descapotado, sem capota, numa rua onde não está mais ninguém, e dentro do carro está uma nota de 500 Euros perfeitamente à vista.

É um cenário muito tentador, certo?

O leitor pode pensar.
"Sou uma pessoa honesta e por isso nem que fosse uma carteira cheia de notas de 500 Euros, eu não as levaria".
Como deve calcular, a maioria das pessoas não pensa assim. Muitas começariam a pensar em levar a nota.
A primeira coisa que pensariam, seria: "E se fôr apanhado?".

Ora bem, aí é que entra a minha teoria. A pessoa está a pensar em tirar a nota do carro, mas começa a pensar no risco que corre se o fizer.
Se a pena fôr muito baixa, digamos, terá apenas que devolver a nota caso seja apanhado, e nada mais lhe acontece, certamente haverá muita gente que levará a nota.
Mas se a pena fôr muito alta, por exemplo, lhe cortarem a mão, aí a grande maioria das pessoas já pensará em NÃO levar a nota. Não existe 500 Euros que paguem a possibilidade de ficarmos sem a mão, por muito baixa que seja a hipotese de sermos apanhados, certo?

Agora suponhamos que 10.000 é o universo de pessoas que passa na rua durante o tempo em que a nota está à mão de semear.
Se considerarmos que estamos dispostos a correr um risco de 0,1% de ficarmos sem a nota, ou seja, dessas 10.000 pessoas, 100 pessoas colocariam a hipotese de levar a nota, só temos de calcular qual a pena necessária a aplicar a esse crime, para que a probabilidade de alguém levara nota, esteja de acordo com o risco que queremso correr.

Pode-se calcular um valor inicial e depois ir ajustando às mentalidades, cultura, locais, etc. Basta flexibilizar um pouco a lei.

Resta-me acrescentar que isto resolveria a situação do crime a curto prazo. A longo prazo, poderiamos investir mais na Educação (nas Escolas) e menos nas penas elevadas. Ou seja, a longo prazo, estaríamos de novo em condições de reduzir as penas sem que isso provocasse um aumento descontrolado do crime.

Claro que isto é inaceitável para os politicos demagogos que temos actualmente. Estão mais interessados em levantar a bandeira da pseudo-defesa das Liberdades e dos Direitos Humanos, esquecendo-se que estão apenas a defender a Liberdade e os Direitos dos criminosos, mesmo que prejudicando as Liberdades e Direitos dos cidadãos honestos, trabalhadores, pagadores de impostos, idosos, crianças e outros grupos mais desprotegidos.

Queremos realmente combater eficazmente a criminalidade? 

Acho que não.
Digo isto porque a fórmula para um combate eficaz à criminalidade é muito simples e já foi comprovada em vários países. Veja-se o exemplo do Iraque antes da invasão Americana, da antiga União Soviética, de países como o Irão, Singapura, ou Cuba.
São exemplos onde a criminalidade é quase zero (tirando a que é exercida pelo próprio governo).
Mas como se consegue tamanho feito? É muito simples. Basta utilizar dois principios:
- As bases da economia de mercado;
- O principio das seguradoras.

Passo a explicar com o exemplo das Companhias de Seguro. Elas têm um determinado número de clientes e sabem que existe uma probabilidade de esse número de clientes ter um determinado número de acidentes. Essa probabilidade é o factor de risco da companhia. Somam-lhe uma percentagem (que equivale o lucro espectável), dividem pelo número total de clientes e obtêm um valor para o prémio do seguro.

A economia de mercado ensina-nos as relações entre a oferta e a procura. Se um determinado produto tem muita procura e pouca oferta, valerá um preço superior. Se existe muita oferta e pouca procura, o seu preço será inferior.

Mas o que tem isto a ver com a criminalidade? Tem tudo a ver.
Tem a ver com as relações entre o tipo de crime e a pena aplicada. Tem a ver com o risco assumido pelo criminoso e a respectiva pena aplicada, caso seja apanhado.

Vejamos o exemplo do que acontece em Singapura. Os traficantes de droga levam pena de morte. Ou seja, a pena aplicada para esse crime é muito elevada. Assim, existem menos pessoas dispostas a correr o risco de praticar esse crime. Practicamente não existe tráfego de droga em Singapura.
No exemplo contrário, em Portugal, a pena será talvez uns 8 anos de cadeia cheia de mordomias, e se o individuo se portar bem, ainda está cá fora ao fim de 4 anos. Ou seja, existem muitas mais pessoas dispostas a correr o risco de traficar droga, uma vez que a pena é muito inferior.

A forma correcta de combater a criminalidade é utilizar estes principios para obter pontos de equilibrio. Isto é ciência pura e simples. Sabemos que existe um universo de X pessoas predispostas a cometer crimes. Só temos que saber quantas é que estamos dispostos a aceitar que cometam crimes, para calcular a pena adequada para esse crime. Ou seja, se estivermos dispostas a ter muitos criminosos, a pena calculada será por exemplo 2 anos de cadeia para um crime XPTO. Se estivermos dispostos a que haja poucas pessoas a cometer esse crime, então a pena calculada será por exemplo 10 anos, para o mesmo crime.

O que eu defendo não é portanto extremismos como nos países que exemplifiquei, mas sim um debate amplo e estudos aprofundados, que levem ao aumento considerável das penas actuais, para os diversos tipos de crimes, até que se atinja um determinado ponto de equilibrio entre o crime e o número de pessoas dispostas a cometê-lo face à pena aplicável.

Como as coisas estão neste momento é que não pode ser. A criminalidade é cada vez maior, o que demostra que as penas a que os criminosos estão sujeitos, são manifestamente pequenas para a maioria dos crimes.

Volto a referir. Isto é ciência pura e simples. Se continuamos a ver a criminalidade aumentar é porque ninguém quer seriamente que a mesma diminua, o que mais uma vez me leva a pensar: que raio andam a fazer os nossos politicos?
(se quizerem também respondo dando a minha opinião: andam entretidos a gastar ineficazmente o dinheiro dos nossos impostos).

sábado, outubro 11, 2003

Eixo Norte-Sul 

Gostava de colocar uma pergunta aos nossos governantes: Para quando a ligação do Eixo Norte-Sul com a CRIL?
Será possível que as filas imensas de transito (principalmente às Sextas-Feiras à tarde) na saída do Eixo Norte-Sul com a Av. Padre Cruz, ainda não fizerem ninguém se aperceber da urgência em terminar este troço?
Relembro que estava previsto o Eixo Norte-Sul ligar à CRIL, no final de 1999! Estamos no final de 2003 e as obras ainda nem começaram. O concurso público foi lançado em Abril deste ano, após um atraso imenso. E desde então nunca mais se ouviu falar no assunto. Era suposto as obras começarem antes do final do Verão, mas nada.
O que se passa? Alguém de sabe responder?
Acabou-se o dinheiro? Foi necessário para os cartazes do Santana? Expliquem-me lá por favor.
Entretanto os prejuizos são enormes para as milhares de pessoas que utilizam o Eixo Norte-Sul diariamente, para ir para Loures, Autoestrada do Norte, Odivelas, etc, etc.

sexta-feira, outubro 10, 2003

A avestruz de Carvalhas 

Hoje tivemos que gramar com mais um dos debates mensais do Parlamento. Eu diria, mais uma prova de como nós simples otários, temos que trabalhar para dar de comer a duzentos e trinta (se não me engano) inúteis.

Os senhores deputados que deveriam ser representantes da Nação, entreteêm-se no Parlamento a dizer umas piadas uns aos outros e a roçar o insulto. E depois riem-se. Fazem a festa e lançam os figuetes, tudo isto às nossas custas. Trabalho do bom em prol do país, nem pensar!

Eu fico sem perceber se estou a pagar impostos para ver os meus problemas discutidos e resolvidos, ou se estou a pagar impostos para financiar um Circo público. É que nem para o Circo servem, pois o número enjoa. Só tem palhaços e eu nunca gostei muito de palhaços. De resto, para ouvir parvoíces já tenho o Big Brother e a Teresa Guilherme, que me saiem bastante mais baratos.

Mas hoje tenho que confessar que houve um palhaço que se esmerou mais que os restantes: o senhor Carlos Carvalhas, que já tinha idade para ter um minimo de Educação. Insultou o chefe de Estado de outro país Democrático meramente pelo gozo de provocar umas risadas, e ao ser chamado à atenção, ainda piora as coisas, pedindo desculpa pois não era sua intenção ofender as Avestruzes. Este senhor por acaso pensa que está na Cova da Moura?

Mas é para estas cenas que eu pago a estes inúteis?

Isto é tão lamentável que não encontro mais palavras para descrever. Os deputados deviam estar abrangidos pela garantia de 2 anos que a lei atribui aos objectos. Eu devolvia-os já e exigia o meu dinheiro de volta!

Desafio (dia IV) 

Não tive nenhuma resposta correcta ao desafio que lancei no dia 7.

Aqui fica a solução.

O António coloca a carta dentro do cofre e fecha-o com o seu cadeado. Envia o cofre ao João. O João quando o recebe, não o pode abrir, pois não tem a chave do António. Então o que faz é colocar também o seu próprio cadeado a fechar o cofre, e envia-o de novo para o António. O António recebe o cofre fechado com dois cadeados. O dele próprio e o do João. Como tem a sua chave, abre o seu próprio cadeado e deixa o cofre fechado apenas com o cadeado do João. Envia-o novamente para o João. O João recebe o cofre fechado apenas com o seu cadeado, pelo que já o pode abrir e ler a mensagem.

Esta solução implica o envio do cofre repetidas vezes, mas garante que o carteiro não consegue boicotar o processo, nem ler a mensagem dentro do cofre.

Note-se também que nunca houve qualquer troca de chaves entre o João e o António, pelo que eles nunca necessitaram se encontrar antes de puderem enviar mensagens codificadas um ao outro.

Este principio é muito importante em segurança de dados. É com base nele que se realizam por exemplo, os acessos seguros aos sites bancários ou sites de compras.

quinta-feira, outubro 09, 2003

Recebi esta por email 

Conversa entre um filho de um Ministro e um filho de outro Ministro:

- Decidi ir para Medicina.
- Decidiste ir para Medicina? Assim sem mais nem menos?!
- ... sim!
- Falaste com o teu Pai ?
- Não! Falei com o teu.

Mensagem da Rosa 

Agradeço à Rosa por mais este mail que publico na integra. Não estamos de acordo com todas as questões, mas respeito obviamente a sua opinião. É bom poder utilizar este espaço para discutir ideias.

Caro GB,

pensou, então, que eu ia ficar aborrecida com a sua resposta... Nada disso. É verdade que continuo a ter a mesma opinião, mas tb reconheço (alguma) validade ao seu ponto de vista. Em todo o caso, eu nunca iria permitir que simples cocó de cão maculasse uma agradável comunicação. Acho que vou continuar a fazer parte da tal audiência que referiu como pouca mas boa (é verdade, o tal pipi que mencionou, só tem alguma piada nos primeiros 3 ou 4 minutos, depois é o descalabro, e é pena, pois o indivíduo até escreve razoavelmente, dentro do género).
Por falar em descalabro, estou triste com o que os nosso governantes andam a fazer (cunhas, favores, "esquemas"), parece que querem competir com os tais canitos embelezadores de passeios... Mas, não esqueçamos que o que está mesmo mal é a existência do tal regime de excepção, especialmente no que diz respeito aos estudantes dos PALOPS. Tenho todo o respeito por eles, mas este "complexo colonial", como o GB muito bem referiu há tempos, já não faz sentido, especialmente quando se trata de admitir candidatos com notas baixíssimas e que, depois, não conseguem acompanhar o ritmo e por cá vão andar mais n-anos até (tentarem) acabar o tal curso.
E, por falar em cursos, universidades, etc, na minha opinão (não coincidente com a sua, já sei) a educação, a partir do que está estipulado como obrigatório, devia ser efectivamente paga. Pelo princípio do utilizador- pagador, mas tb pela razão de que, para certas pessoas (infelizmente muitas, talvez a maioria) o que é grátis ou de baixo preço, não presta para nada. Portanto, é o que se queira ... (isto lembra-me um artigo que li na Newsweek por alturas dos 100 anos da Aspirina, em que se dizia qq coisa como "centenária, com tantas qualidades e tão pouco respeitada"...! Isto devido ao baixo preço do dito medicamento, que, além de qualidades parece ter potencialidades enormes. Bom, com a educação é um bocado isso. O ideal, para os meninos reivindicativos, era pagar-se tuta e meia na escola, investir forte e feio o dinheiro dos papás em roupinhas à maneira, andar pela "náite", ter talvez até um carrinho, não esquecendo uma bela farda académica, com aqueles emblemas todos, tão lindo que é para todos verem! Entretanto, o meu garoto mais novo, no infantário (bom, mas não LFrancês), paga quase 40 contos/mês. Ou seja, pouco menos de um terço da propina anual mais alta do país. E mais não digo, para não usar termos "pipianos"...
Nâo posso "conversar/desabafar" mais. Isto de trabalhar por conta própria não permite muito longas incursões na blogosfera nem mails muito demorados.
Cumprimentos
Rosa


As Crianças Vitimas da Pedófilia 

Não nos esqueçamos que o mais importante neste caso, são as crianças que foram vitimas da pedófilia. Infelizmente não vejo as mesmas personalidades que defendem a justiça em prol dos arguídos, defenderem-na também em prol das crianças. Ninguém fala das crianças.
E isso é triste. O Estado Português falhou durante anos na boa Educação e Defesa destas crianças que tinha a seu cargo.
Hoje, há quem as acuse de serem simples delinquentes e tente denegrir a sua imagem. Até podem ser delinquentes, não coloco isso em causa. Mas se o são, esse foi o resultado na falta de protecção e deficiente Educação que lhes foi prestada pelo Estado Português.
Por isso temos todos uma grande responsabilidade nesta questão. Não podemos simplesmente refugiarmo-nos na acusação de que se tratam, não de crianças inocentes, mas sim de delinquentes mentirosos.
Essas crianças merecem o respeito de todos nós, que tanto lhes devemos. Deixámos que elas sofressem durante tanto tempo. Agora temos o dever de ir até às últimas consequências, encontrar e punir todos os culpados.
Mas isso só não basta. Temos de continuar a apoiar essas pessoas, algumas das quais hoje em dia já não serão crianças, mas que certamente continuam a precisar de todo o nosso apoio.
Temos também o dever de garantir que daqui para a frente, estão criadas todas as condições, para que situações semelhantes não se repitam.

Ainda em relação ao Paulo Pedroso, devo dizer que gostei do discurso que ele fez quando saiu ontem da prisão. Demagogia ou não, não me cabe a mim avaliar. Mas ele frisou o mais importante neste caso: as crianças. E vindo de um dos arguidos, isso é de aplaudir.
O Paulo Pedroso parece-me boa pessoa. Espero sinceramente, que esteja inocente. Não podemos culpá-lo por ter tentado sair da prisão preventiva. Qualquer arguído faria o mesmo.
Alguns amigos dele é que se portaram extremamente mal. Aproveitaram-se dos seus cargos públicos e do poder que os mesmos lhes permitem, para vir à Praça Pública pressionar a Justiça. Isso é inaceitável num Estado de Direito.

Em relação ao Juiz Rui Teixeira, devo dizer que ele não cometeu qualquer ilegalidade. Ele é um Juiz e a lei permite que ele faça o que fez, logo não practicou nenhuma ilegalidade. Se analisou bem ou mal a situação, se tirou as melhores conclusões ou não e se tomou a decisão mais correcta ou não, isso não cabe a ninguém criticar. Acima de Juiz ele é um ser humano e como tal pode cometer erros. Mas isso não quer dizer que tenha sido este o caso. Ele é um Juiz que tomou uma determinada decisão, tal como ontem foram 3 Juizes que tomaram outra decisão distinta (e nem sequer estiveram os três de acordo). A decisão destes três Juizes também pode ou não ser a mais justa. O tempo o dirá, espero.